quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Hoje


Hoje, os meus passos
; para lá, para cá.
E o tempo que se fez...
E o tempo o que faz?
E mais o que fazemos dele?

1 comentário:

Teresa Poças disse...

Gosto da forma como este poema se torna especial no seio da sua simplicidade!
Beijo


contador gratis