quinta-feira, 18 de março de 2010

"Miúda, do que é que estás à espera...?!"



Muda de Vida


Muda de vida se tu não vives satisfeit[a]
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeit[a]
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens...que ser assim?...

Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver

Muda de vida se tu não vives satisfeit[a]
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeit[a]
Muda de vida, se há vida em ti a latejar


António Variações

3 comentários:

Plutaniano disse...

Também me apetecia mudar de vida mas esta mais parece uma estrada de sentido único a terminar num beco sem saída.

serrata disse...

Mudar de vida pode ser muito difícil, tanto quanto não mudar; salvo todos os extremos, evidentemente.

É preciso coragem para mudar de vida, tanta quanta para mudar a vida.

Nenhum conselho mas o facto de parecer fácil ou difícil não torna o gesto mais ou menos acertado ... e muita coisa se faz antes de ser necessário; salvo todos os extremos, repito.

Alma disse...

Muitas vezes, porém, foi necessário ter-se chegado ao "extremo" para se adquirir, já nem diria a coragem, mas sim, aquele lúcido instinto de sobrevivência para mudar de vida; e, quem sabe, mudando aqui e ali a própria Vida.

E não, de facto não parece fácil, mas será, sem sombra de dúvida, o mais natural.
Abraç*


contador gratis