quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Homem que caminha























No que pensará aquele homem que caminha? Na vida, na morte? Terá projectos? Saudades?
Por que andará sozinho, como eu - vezes que já perdi a conta?
"Areia não rima com lixeira…? Ou “e eu, como vim parar a esta praia?”
Será, assim, vago o meu vulto ao longo deste areal de plásticos-outrora-domésticos, como se Mar não fosse Casa?
Parecerei, assim, livre e alienada aos olhos dos que julgam que me vêem de longe?
Caminhamos numa praia que é de restos de espelhos.
Mais uns passos e… Afinal, é o meu pai :-)

contador gratis