quinta-feira, 26 de março de 2009

enferma

quererá ela o adeus às horas enfermas?
se no Verde dos seus caminhos
ela sente a esperança extrema
e o seu peito rebenta
abençoando
Terra e meia
meia volta
de volta ao betão
ela cai na cama insone enferma
à espera da extrema unção
incompleta
encalhada nos rochedos
seus e dos outros incompletos
com quem se desencontra completamente
no vício daquelas horas

quererá ela arrastar-se ao Verde
acenar de lenço branco ao relógio velho e curar-se de vez?

2 comentários:

Anónimo disse...

Linda, não só ela mas tudo o que a rodeia. Será que somos torcidinhas como ela? NB

Suzanna disse...

Decididamente*


contador gratis