sexta-feira, 1 de agosto de 2008



Aqui qualquer ruído que eu faça é imenso. Pena os carros ao longe. Pena as redes. Os gamos estão lá dentro. As borboletas, os coelhos, os aranhiços cirandam em meu redor… Iria jurar que vi uma gineta. Apesar dos carros ao longe, aqui o tempo escorre sem tempo. E é importante este oásis atemporal, aqui no meio, mesmo com os carros ao longe. Pena as redes. Para onde iriam os gamos? É um mal menor, como a ... Porque seria pior sem, no meio da selva de betão, sem coração, onde a palavra coração é pirosa e cumprir promessas está fora de moda.


Parque Biológico

Julho, 2008

1 comentário:

Nelson disse...

Um dia levas-me contigo? Ando com uma vontade de lá ir...


contador gratis